Pular para o conteúdo principal

A História do Sal - Como sua busca influenciou Civilizações e a Culinária Mediterrânea.

 


O Sal e sua História !!!

Sabores intensos ou delicados, são produzidos durante as cocções e cabe a cada cozinheiro dar a intensidade desejada em seus pratos e criações através delas!


Nenhum ser vivo seja ele humano ou não, vegetal ou fungo não vive sem sal! O sal no organismo é catalizador enzimático, isto é, ele funciona como um instrumento de quebra ou de ligação de vários compostos químicos orgânicos e inorgânicos que influem direto ou indiretamente no metabolismo dos seres vivos. Os sais são responsáveis pela respiração, pela condutividade e pelo metabolismo das células transportam os minerais que necessitamos e também regulam as entradas e saídas de compostos úteis ou nocivos ao corpo.

Mas principalmente o sal é o agente do Sabor ! Sem ele não existem os sabores, por isso temos sais salgados, doces, amargos e azedos e até o sal do quinto sabor( que na verdade é mais uma sensação de sabor do que o "sabor" propriamente dito - O Unami - O Glutamato Monossódico.

Nem todos os compostos classificados como sais apresentam sabor salgado. Alguns são doces, como os etanoatos de chumbo e berílio, e outros são amargos, como o iodeto de potássio, o sulfato de magnésio e o cloreto de césio e azedos como Bissulfato e o Bicarbonato de sódio. E é claro que nenhum desses são usados na comida, exceto os fermentáveis como os sais ácidos, mas como remédios em sintomas causados por má digestão e até contaminação por alimentos...


A Procura pelo Sal e sua contribuição à consolidação das Novas Sociedades e Civilizações no Mundo Antigo 


Os humanos e suas sociedades no advento de suas Civilizações mudaram suas características, culturas e caminhos na procura pelo Sal.

Há 3 milhões de anos as chuvas dissolveram o sal formados pelas grandes erupções vulcânicas e foram ao encontro das águas dos primeiros mares do Globo terrestre, com o passar dos anos e evaporação desses mares surgiram grandes depósitos de sal nas terras secas o qual chamamos de “Sal da terra”.  Todas as cidades criadas durante a Civilização Antiga foram construídas não somente perto das fontes de água, mas também das de sal, ele conectou os povos do mundo e a sua procura fomentou todos os caminhos e estradas da Antiguidade fazendo com que as culturas se miscigenassem e criassem as Grande Civilizações e as Grandes Nações do Mundo Antigo.

Neste Mapa vemos os caminhos criados pelos romanos através da procura, obtenção, produção e distribuição do Sal:





Como uma molécula tão simples se tornou de vital importância a Civilização Humana? 

 

O sal está presente na Terra desde a sua formação, e foi em um meio salino que surgiram os primeiros seres unicelulares, desempenhando um importante papel na evolução dos seres vivos e na história da humanidade. Os registros do uso do sal pelos homens remontam há mais de cinco mil anos. Ele já era usado na Suméria, na Babilônia, no Egito, na China e em civilizações pré-colombianas, principalmente como moeda, como forma de conservar alimentos e para lavar, tingir e amaciar o couro.

O sal durante as primeiras civilizações era tão raro e importante que se tornou umas das primeira moedas da primitiva Economia daquela época e seu valor deu-se exatamente por ser um dos primeiros adstringentes, conservador, inseticida, purificador, tempero, bactericida e medicamento usado pelo homem. Não existia Civilização sem o sal! Era a forma conhecida na época que evitava doenças, epidemias, desnutrição, contaminação, deterioração e putrefação purificando nossos alimentos e insumos tornando a validade mais extensa e em contrapartida aumentava a expectativa de vida entre os povos civilizados. 

O sal conservava alimentos durante o inverno, curava feridas, dava sabor as receitas e também era usado na metalurgia Antiga para dar mais dureza ou mais flexibilidade aos metais!

O sal não é só importante para a Culinária Mediterrânea, mas para qualquer Culinária Mundial e não apenas como agente de sabor, mas agente de desenvolvimento! Apesar de hoje ser um produto barato e abundante, na antiguidade era tão valioso quanto o ouro, por isso sua busca pela obtenção de sal movimentou o Mundo Antigo e Contemporâneo. 

Não falo apenas do Cloreto de Sódio ou "sal de cozinha", mas havia outros tipos que conforme sua cor, teor, aroma e características eram usados em infinitos processos. 

Não podemos esquecer que o sal é a Chave para a Vida, sem o sal não existiriam os seres humanos ou não! Toda a vida surgiu na água salgada mesmo antes das terras emergirem dos mares há 3 bilhões de anos. Nossas células nervosas ( neurônios) se comunicam entre si através de íons de sódio e de potássio e o sal junto com a ferritina da carne foram responsáveis por nosso desenvolvimento muscular e cerebral e que nos diferenciaram de outras espécies. 

Todas as criaturas vivas precisam do sal, anseiam por ele são dependentes e morem sem ele, o sal criou uma dependência psicológica básica quando falamos de sabor e gosto nos alimentos, através dele o homem conseguiu transformar a comida de uma simples razão de subsistência para uma de Satisfação e Prazer e assim desenvolvemos nossas gastronomias e nossas receitas. O sal e a saga por sua obtenção criou estradas e canais, devastou montanhas, criou cidades inteiras, destruiu e construiu Impérios, desenvolveu a Agricultura e novos métodos de inter-relações humanas como forma de pagamento, moeda e valor.
Lembrem-se que os soldados romanos eram pagos em sal, daí a palavra "Salário"!

Aqui neste link abaixo, do meu site " O Mago das Panelas" tem uma receita de Sal Aromático para suas receitas, acesse:



Continuem Acompanhando...!!!

Chef Paulinho Pecora

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Influências Históricas I - As Civilizações Antigas da Mesopotâmia e suas Influências sobre a Culinária Mediterrânea...

  As Civilizações Antigas da Mesopotâmia e suas Influências sobre a Culinária Mediterrânea... Antes de ler este post gostaria, se possível for, lerem este post que é aonde começa esta série... ORIGENS ARQUEOLÓGICAS E ANTROPOLÓGICAS DA CULINÁRIA MEDITERRÂNEA POVOS PRÉ-SUMERIANOS E A SUMÉRIA – 4200 A 2400 aC Por volta do ano 6000 AC   grupos de agricultores nômades vindos do Norte e Centro da Eurásia se estabeleceram na área fértil na Planície da Anatólia – Turquia. E no Sul e Sudeste da Mesopotâmia no Vale dos Rios Tigre e Eufrates (hoje parte da Síria e do Iraque) – Mesopotâmia no antigo Grego significa “Terra entre Rios” e de todos esse povos os que mais se desenvolveram e prosperaram foram os sumérios ( No Grego antigo – Cabeças Pretas) e assim fundaram uma nação conhecida então como Suméria. A partir desse início humilde, formou-se a primeira grande civilização do mundo. Os agricultores sumérios conseguiam obter fartas colheitas de cereais e outros produtos agrícolas, cujos excede

Os Ciclos Históricos da Fome - Origens Arqueológicas e Antropológicas da Culinária Mediterrânea

  Origens Arqueológic as e Antropológicas da Culinária Mediterrânea  Vamos voltar no tempo... Vamos há 13.000 anos atrás! Antes da formação da Civilização Humana exatamente no final da última Grande Era Glacial e do grande degelo da Terra que permitiu; mesmo após um grande cataclismo e morte de milhares (ou milhões conforme a Teoria Cientifica defendida...) de humanos e animais e que os sobreviventes pudessem ou tivessem deslocando-se pelos continentes e oceanos criando as Primeiras Civilizações Humanas. ( Na verdade assim fizeram, mas ainda as teorias divergem muito!) A Civilização Humana Primitiva com os primeiros processos de colheita e plantio e a cria de animais domesticados permitiram, aos humanos nômades e viventes, daquela época conseguir transformar a sua dieta* de caça e a procura do alimento de subsistência para uma dieta dividida em refeições diárias equilibradas com os ingredientes obtidos conforme sua época e sua sazonalidade (Agricultura de Extração) ou de região de plan

Influências Históricas II - O Egito Antigo e sua Influência sobre a Culinária Mediterrânea...,

  EGITO ANTIGO  O ANTIGO IMPÉRIO - 2400 a 1200 AC A primeira grande civilização da África teve início com o povoamento do vale do Nilo, no Nordeste do continente, por volta do ano 5000. Acredita-se hoje que seus colonizadores provinham do Saara, onde as primeiras sociedades agrícolas haviam se desenvolvido 2 mil anos antes, quando as mudanças que o transformaram em um deserto ainda não haviam ocorrido. Essas mesmas mudanças climáticas secaram os pântanos do vale do Nilo, que assim se tornou mais atraente para os agricultores. Em meados do quarto milênio, o vale do Nilo já estava densamente povoado. Cidades haviam se desenvolvido, e a região fora dividida em dois reinos egípcios. A cronologia tradicional egípcia considera que, em 3200, o faraó (soberano) Menés unificou os dois reinos do país e criou um Estado ‐ único. Esse foi o início de uma civilização que durou 3 mil anos e que ficou marcada por suas tumbas monumentais e pelo florescimento da cultura egípcia. No período mais remoto d